Quando a gente começa a nossa vida, somos altamente encorajados a tentar até conseguir. A ida ao banheiro, largar a mamadeira, andar. Tudo em nossa vida é uma batalha de tentativas para conseguir o primeiro acerto e apenas a partir daí, continuar tentando até não errar mais. Tudo é prática.

Entretanto, depois de alguns anos, somos desencorajados a errar. Errar significa ter esse erro apontado para sempre. Se você errar como profissional, você pode acabar com a sua carreira, se errar como mãe, você pode acabar com a vida de outra(s) pessoa(s). Se você falhar como empreendedor, pode quebrar. Com o passar dos anos, errar ficou ainda mais difícil do que era para nossos pais, para nossos avós. Errar se tornou um erro imperdoável.

A verdade é que com a condenação da sociedade como um todo, a gente esquece a premissa do acertar: é tentar. Com medo de ser condenado, com medo de ser apontado e principalmente, de ser acusado diariamente e ser reconhecido apenas pelo erro e não pelos acertos já feitos, esquecemos de tentar, caímos no esquecimento do sempre fazer o mesmo, onde há a zona de conforto para evitarmos nossos erros.

A arte do cancelamento

Todo o medo de errar e de ser apontado pelas pessoas piorou com a arte do cancelamento. Hoje, uma pessoa não pode errar em simplesmente viver, que ela é cancelada não apenas por uma ou duas pessoas, mas por toda uma sociedade.

Com a vida contada e exposta cada vez mais por redes sociais, o menor dos deslizes pode ser o fim para sua existência. Parece dramático e exagerado, mas a verdade é que hoje, errar na vida, é o pior erro que a pessoa pode cometer.

Quer um exemplo? Karol Konka, artista reconhecida por dar voz às mulheres negras, duas bases que são altamente descriminada, primeiro por serem pretas, segundo, por serem mulheres! Com a sua participação no Big Brother Brasil 21, que aconteceu em 2021, a artista ficou marcada pela sua personalidade forte, agressiva e até mesmo violenta, em determinados momentos. Karol ficou marcada pela sua participação no programa e foi condenada por isso. Todos esqueceram a importância que ela já teve no cenário musical e até mesmo na luta pelos direitos das mulheres negras no Brasil.

Outro exemplo é Marcela Mc Gowan, outra participante, desta vez, do Big Brother Brasil 20, ocorrido em 2020. Uma das participantes favoritas ao prêmio, viu suas chances e sua popularidade despencar quando se aliou a Daniel, com quem também viveu um relacionamento e seu grupo, que até então tinha um carisma enorme, se tornou alvo de críticas e ódio na internet.

Um outro exemplo, acontecido recentemente no Brasil foi de Enzo Celulari, empresário e filho dos atores Cláudia Raia e Edson Celulari. O rapaz fez um comentário que podia estar carregado de ironia sobre o preço da carne no país e as pessoas, sem entenderem bem ou não o que ele havia dito, disparou uma enxurrada de ódio e discriminação. Detalhe, até dias antes, ele estava sendo altamente elogiado por ser um homem bom, de caráter e que estava sempre envolvido em ações do bem. Considerado um príncipe e uma troca perfeita pela atriz Bruna Marquezine, sua namorada no momento.

Entende o ponto em que liga todos esses “cancelamentos”? Todos eles foram falhas de um ou alguns momentos, que apagaram, imediatamente, todo o bem ou todas as ações que causaram admiração e empatia em outras pessoas. Todas essas pessoas passam um período mais longo se justificando de seus erros, do que sendo lembradas de seus acertos.

Isso não parece ser altamente estúpido?

O peso do medo de errar

A resposta para a resposta é sim, é altamente estúpido, pois as pessoas, quando elas têm medo elas travam. O medo é o maior entrave! Por causa do medo que as pessoas evitam fazer qualquer ação. Quando você está com muita raiva de uma pessoa, você não bate nela, porque além de saber que isso não é a ação certa, você tem medo de que ela te processe, por exemplo.

Quando você começa em uma empresa nova, você não dá muitas ideias de cara, porque você tem medo de que isso que você está falando seja uma grande bobeira para aquele momento.

O peso de errar é tão grande que prende as pessoas à mesmice da vida e as impede de evoluir, de colocar ideias, de ir para frente.

Quer um exemplo realmente fácil de entender o medo? Sempre achei lindo e fantástico as pessoas empreenderem. Fico realmente feliz quando vejo um amigo meu, um conhecido, alguém que tenho admiração empreendendo e arriscando em um sonho. Entretanto, apesar de várias ideias que surgem, eu mesma tenho alto medo do empreendedorismo. E se der errado? E se eu quebrar? E se eu destruir famílias? E se eu não conseguir sustentar a minha própria? E se eu perder tudo que conquistei com tanto esforço?

O medo de empreender me impede de evoluir profissionalmente e me arriscar em coisas que eu tenho certeza que sei. O medo de falhar e ser julgada pela minha tentativa, ser julgada por ser sonhadora ou ainda, ser julgada por ter jogado alto e ter perdido é que prende meus pés no chão como uma assalariada, com a síndrome da CLT mortal.

O peso de errar é tão grande, é tão mortífero, que ele assassina sonhos antes mesmo deles começarem. O medo de errar impede as pessoas de voarem, de realizarem coisas incríveis, de serem pessoas que realizam atos que podem salvar a humanidade.

Isso pode ser realmente um exagero, olhando assim, de imediato, mas uma pessoa com medo de errar não evolui, porque a zona de conforto no qual ela se encontra é mais segura, é menos propícia a erros.

A real é que enquanto a sociedade pesar mais os erros do que os acertos, as pessoas sempre terão medo de voar, sempre terão medo de arriscar, sempre terão medo de realizar.

Enquanto os erros continuarem sendo mais valorizados do que os acertos, grandes projetos continuaram engavetados, lindas histórias deixaram de ser contadas e grandes problemas deixarão de ser resolvidos, pelo simples medo de serem taxados de fúteis, por exemplo.

Pense: no que você tem medo? Eu, tenho medo de falhar! E você?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s