Eu já perdi um grande amigo e foi da pior maneira que poderia ter sido: por uma traição sem tamanho.

Sim, eu considero uma traição, porque eu sempre fui muito aberta com todos os meus amigos e eles sabem disso. Eu sempre conversei, sempre me comuniquei e mesmo que a opinião dele se diverge da minha, é batata a gente pode até ter uma ligeira discussão (principalmente se a pessoa for mais incisiva, como se apenas a opinião dela bastasse), mas no final, a amizade continua e cada um segue com a sua opinião até que um dos dois mude ou não. Isso pode acontecer também.

Esse amigo, na verdade uma amiga, era como se fosse uma irmã. Apareceu na minha vida na mesma velocidade que se foi e da mesma maneira, com a diferença que quando chegou em minha vida, a pessoa chegou cheia de palavras e ações, para demonstrar uma amizade forte e quando se foi, se foi sem falar nem uma palavra.

As pessoas podem achar a traição com amigos uma coisa leve e que eu estou fazendo uma tempestade em um copo d’água e é até verdade para você, mas para mim não! Uma traição de um amigo me dói e eu demoro muito mais tempo para superar que a traição de um cara que eu tenha algum tipo de relacionamento, isso, porque apenas quem é meu amigo mesmo sabe como as amizades são importantes, como as prezo e cuido com carinho… Com raras exceções.

VAMOS A HISTÓRIA

Eu tinha essa amiga, que apareceu, assim, do nada, como um presente de Deus! A gente virou muito amiga bem rápido e eu compartilhava muitas coisas da minha vida com ela. Contava muitas coisas da minha vida para ela e eu acreditava que ela era assim também.

Inclusive, ela era uma das principais estimuladoras de um envolvimento que eu tive, onde ela vivia falando mal do cara para mim, mas sempre que eu queria desistir, ela me fazia voltar atrás e aguentar mais um pouquinho, porque o cara era cheio de traumas. Depois pensei: se ela queria que eu ficasse com ele, porque ela falava tão mal dele?

Inclusive eles eram muito amigos, brigaram por causa de uma mancada que ela deu e eu incentivei ela a correr atrás e consertar aquilo que ela tinha aprontado, a ponto de hoje eles serem amigos e a gente não.

Ela, na verdade, usava esse relacionamento (será que posso chamar assim) para me manipular. Enquanto eu estava nesse relacionamento, eu não estaria em nenhum outro e por consequência, eu estaria sempre por perto, mas assim como em todo relacionamento abusivo, a gente nunca percebe até sair.

Os anos foram se passando e essa pessoa se tornou uma das minhas melhores amigas. Ela sabia coisas da minha vida que ninguém mais sabia, estava comigo quase que 18 horas por dia e a gente se falava o tempo todo por mensagem. Era algo realmente próximo.

Em uma certa época, decidi fazer dieta e queria que ela fizesse comigo. Claro que a alimentação ela não mudou, mas ela aderiu à prática de exercícios e isso era ótimo. Ela também mudou a maneira de se vestir e a maneira de andar, ela estava evoluindo o que as pessoas sempre diziam que ela tinha que mudar e eu me sentia orgulhosa, porque ela estava se sentindo bem com ela mesma.

A gente adorava fazer umas festas também e depois dessa mudança nos visual, eu percebi que ela havia ficado bem mais ativa, ela estava ficando bem com ela mesma, sem as neuras loucas que ela tinha na mente e eu confesso que para mim, desnecessárias.

Em uma festa que a gente organizou junto, eu briguei com esse caso, esse relacionamento, esse rolo que eu tinha na vida e fui embora, brava, furiosa e depois desse dia, havia decidido que para mim, havia acabado, independente do que acontecesse. Eu ainda esperei para ele dar a opinião dele, mas para mim nem importava mais, porque eu havia tomado minha decisão, que claro, ela tentou mudar.

Sofri? Claro né, porque eu gostava dele, não amava, mas gostava e eu acho que poderia ter gostado mais, mas ele dificultava demais gente. Aí para mim já deu, já deu mesmo.

Ela? Claro, me persuadia a continuar nesse enrosco e ainda promovia o SE. E SE ele te pedir em namoro? E SE ele quiser ficar com você? E SE…

As coisas realmente foram finalizadas e eu estava leve para seguir em frente. Junto a isso, começa a reparar em um comportamento meio estranho, de alguém que tenta te afastar de quem você gosta, contando algum grande podre da pessoa? Pois é, mas eu continuei fingindo não ouvir, o lance de aceitar o que a pessoa fala é bom, mas nem sempre vale a pena.

QUANDO ELA VIU QUE PERDEU O CONTROLE

Depois de algumas semanas eu conheci uma pessoa que parecia ser uma boa pessoa e eu comecei a me relacionar com ela. Eu sei, rapidinha eu, né? Mas fazer o que, eu era assim!

Ela parecia aceitar muito nem essa pessoa, mas depois de algumas semanas, notei um comportamento de distanciamento. Mas ela estava se distanciando dele e não de mim, então, eu concordo que quem são os envolvidos que se entendam e me deixem fora… Mas não foi bem assim que aconteceu.

Eu sai de férias logo que comecei a namorar esse cara e eu sempre que fico de férias, passo uma semana longe de casa e de todos, com o telefone desligado e me concentrando apenas em mim, para recarregar as energias, descansar a mente mesmo. Faço caminhada, ando de bicicleta, nado, faço coisas que me libertam e que no dia a dia, é impossível fazer.

Mesmo assim, eu ligava para ela ou mandava mensagem todos os dias, pelo menos duas vezes ao dia, eu tinha medo de deixá-la sozinha, afinal,e la tinha depressão e eu tinha medo dela fazer algo que ela se arrependesse tardiamente.

Também falava com o boy, afinal, a gente passou mais tempo separado que junto no começo do relacionamento e aquele momento era algo muito bom.

O problema, foi quando voltei de férias. As coisas estavam estranhas, estavam bem bizarras. A maioria dos meus amigos e colegas de trabalho estavam de cara virada para mim, como se naquelas férias, eu tivesse feito algo que os havia chateado. Eu pensei: se for porque não falei com ninguém, só lamento, meu momento. Antes fosse…

Eu descobri, algumas semanas depois, diante de uma investigação com pessoas certas o que havia acontecido: essa minha “amiga” havia falado mal do cara que eu estava para todo mundo da empresa, não só da empresa, mas para todo mundo que me conhecia.

Ela havia falado coias horríveis dele (que depois acabaram se mostrando até reais, mas essa, é uma outra história) e as pessoas, pela nossa proximidade, acabaram acreditando. Elas se afastaram de mim, porque ela dizia para todo mundo que eu havia me afastado das pessoas, porque ele não me deixava ter contato com os outros (o que era mentira).

Eu tentei conversar com ela várias vezes e ela sempre negou que houvesse feito isso. Mas eu tinha provas… Mensagens de um grupo que eu nem estava nele, ela havia montado um grupo com todo mundo, sem mim, apenas para falar dele e poder criticar ele, sem nem ao menos se sentir culpada.

O problema todo não foi ela ter falado do cara apenas, porque como eu disse, lá no começo, todo mundo tem direito a opinião. O que foi o ponto final na nossa relação de amizade foi a facada dada pelas costas, foi ela ter esperado a minha viagem para falar mal dele para todo mundo e nunca, eu disse NUNCA ter chegado em mim e falado o que sentia, o que pensava e tudo bem!

Você pode estar pensando: ah, mas talvez ela teve medo da sua reação quando ela falasse. Eu também pensei, por isso dei mais de duas chances para ela se explicar e ela, sempre olhando nos meus olhos, negava. Mais tarde, descobri que ela fazia isso com várias pessoas da minha vida. Ela falava mal de todo mundo que ela achava que deveria falar, tramando para que as pessoas à minha volta ficassem revoltadas com outras pessoas e assim, se afastassem e ela, ia ganhando cada vez mais espaço na minha vida.

RELACIONAMENTO ABUSIVO ENTRE AMIGOS TAMBÉM EXISTE

Essa história ela apenas me mostrou que eu tenho que tomar muito cuidado não apenas com relacionamentos amorosos, mas de amizade também. Aquelas amizades que sugam, que te fazem ser apenas para elas, que você começa a se sentir pesada e culpada por ão fazer uma ação que a pessoa quer e a pessoa usa disso para sempre conseguir mais, isso é também um relacionamento abusivo.

Foi difícil para mim perder a amizade com essa pessoa, da parte dela eu não sei, mas a amizade dela me era muito importante porque para mim, ela era como uma irmã, que eu tinha que ajudar, cuidar e estar sempre por perto. Mas ela estava sempre tramando, falando de outras pessoas pelas minhas costas e confesso que eu nem sei o motivo dela fazer isso, só sei que ela fazia com muitas pessoas.

Amizades não precisam ser assim, as pessoas têm que saber que você pode ter elas e mais um monte de amigos e todos estarem juntos, se comunicando e sendo amigos uns dos outros, assim o circulo vai crescendo! Às vezes, você pode se tornar ainda mais amigo de um amigo seu e olha que coisa linda!

É necessário a gente saber exatamente o que está acontecendo quando a gente se relaciona com alguém, seja qual for o tipo de relacionamento: amizade, trabalho, amoroso, coleguismo ou apenas de bom dia. Os abusos estão em todos os lugares e eu demorei muito para entender isso. Para saber o que é isso e principalmente, para lutar contra isso. Confesso que nem sei se luto ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s